Sanabria - Cañon del Tera...

04/05/2017

Linhas Ferroviárias Extintas - Linha do Douro



Linha do Douro é uma linha de Caminho-de-Ferro em Portugal de bitola ibérica (1,67 metros), que ligava Ermesinde a Barca d'Alva, numa extensão de, aproximadamente, 200 Km.

Em grande parte do seu percurso acompanha as margens do Rio Douro, contendo a maior extensão de via-férrea ladeada por água de Portugal, superando mesmo o grande troço ribeirinho da Linha da Beira Baixa (ao longo do Rio Tejo).

Destas duas linhas sairiam um grande conjunto de "linhas secundárias" que as ligariam a quase todas as cidades importantes do Norte do País.

O principal propósito da Linha do Douro foi, além de providenciar transporte para as povoações ao longo da via, transportar igualmente adubos, sementes e outros produtos para o interior e escoar a produção agrícola destas regiões.

A Linha do Douro e a Linha do Minho partilham o mesmo troço até a localidade de Ermesinde, local onde divergem.

Ao longo do seu trajecto a linha contava com vinte e três estações, vinte e sete túneis, trinta e cinco pontes e trinta e dois apeadeiros, que são:

De Ermesinde ao Pocinho - Património da parte activa da Linha

Estações: Ermesinde, Valongo, Recarei-Sobreira, Cête, Penafiel, Caíde, Vila Meã, Marco de Canaveses, Juncal, Mosteirô, Aregos, Ermida, Rede, Godim, Régua, Covelinhas, Pinhão, Tua e o Pocinho.

Apeadeiros: Cabêda (Alfena), Suzão, São Martinho do Campo, Terronhas, Trancoso, Parada, Irivo, Oleiros, Paredes, Santiago, Bustelo, Meinedo, Oliveira, Recesinhos, Pala, Portuzelo, Mirão, Porto de Rei, Caldas de Moledo, Godim, Bagaúste, Gouvinhas, Ferrão, Chanceleiros, Cotas, Castedo, São Mamede do Tua, Alegria, Ferradosa, Vargelas, Vesúvio e Freixo de Numão - Mós do Douro.

Pontes: Sete Arcos, Ferreira, Fervença, Sousa, Vila Meã, Póvoa, Tâmega, Juncal, Cocheca, Quebradas, Pala, Ovil, Portuzelo, Laranjal, Zêzere, Teixeira, Sermenha, Corgo, Pinhão, Roncão, Loureiro, Tua, Riba Longa, Ferradosa, Vargelas, Arnozelo, Teja, Murça, Gonçalo Joanes, Vale do Nedo e o Pocinho.

Túneis: Caíde, Gaviarra, Campanainha, Juncal, Vila Meã, Póvoa, Tâmega, Juncal, Riboura, Loureiro, Má Passada, Salgueiral, Peso da Régua, Três Curvas, Pedra Caldeira, Rapa Velha, Valeira, Vargelas, Arnozelo I, Arnozelo II, Arnozelo III, Fontainhas, Meão, Saião e Veiga.

Do Pocinho a Barca d'Alva - O património do troço ferroviário extinto da Linha do Douro

Estações: Côa, Castelo Melhor, Almendra e Barca d'Alva.

Pontes: Canivais, Côa, Aguiar e da Gricha.

Túneis: Castelo Melhor e Almendra.

Encerramento da ligação internacional e do troço até Barca d'Alva

A 30 de Setembro de 1984 foi aprovado, pelo governo espanhol, o encerramento a todos os tipos de tráfego, de várias ligações ferroviárias, incluindo o troço entre La Fuente de San Esteban e La Fregeneda. Este encerramento deixou sem quaisquer serviços o troço internacional entre esta última localidade e Barca d'Alva.

No dia 1 de Janeiro de 1985 foi encerrado o troço entre Boadilla e Barca d'Alva, terminando, assim, com o carácter internacional da Linha do Douro.

Em 31 de Dezembro de 1987 foi desactivado o troço entre o Pocinho e Barca d'Alva, vindo a encerrar definitivamente a 18 de Outubro de 1988.

A Linha do Douro passa a ser utilizada apenas entre o Porto e a estação do Pocinho e abandonada a exploração do restante troço até Barca d'Alva.

Em Agosto de 2009 foi anunciado, pela então Secretária de Estado e dos Transportes, Engenheira Ana Paula Vitorino, a intenção de reabrir o tráfego internacional desta linha, ficando agendados para breve o início dos trabalhos para a recuperação do troço entre o Pocinho e Barca d'Alva mas, até à data, este troço ainda se encontra encerrado.

Actualmente, o património existente ao longo deste troço desactivado encontra-se em estado avançado de degradação, resultado do declínio e da falta de preservação.

0 comentários: